Porque os momentos ociosos são cruciais para a criatividade

Nos dias de hoje é raro ter um momento para deixar a mente viajar. Ou seja, pensar um pouco na vida, refletir sobre decisões, atitudes, ou até mesmo sonhar acordado. Esses momentos se tornaram quase impossíveis porque agora nossas mentes estão sempre muito ocupadas.

Nossos pensamentos são preenchidos com o uso de smartphones, computadores e outros dispositivos – que nos fazem percorrer desde as mídias sociais, ouvir podcasts, responder aos e-mails, a ler coisas banais que não irão somar em nada.

Isso pode parecer uma pequena mudança, mas seu efeito, no modo como nossas mentes funcionam e em nossa criatividade coletiva, é de grande alcance. Na verdade, isso pode estar impedindo a nossa capacidade de ter ideias frescas e inovadoras.

Pesquisa comprova que deixar a mente viajar traz melhor resolução aos problemas

Uma pesquisa já comprova que deixar sua mente vagar pode levar a melhor resolução criativa de problemas . E nossa capacidade de sonhar acordado e criatividade se tornam abundantes. De Einstein aos químicos vencedores do Prêmio Nobel para o inventor do Post-it, muitos dos grandes pensadores do mundo têm abraçado os benefícios de dar a sua mente um descanso. E talvez você também tenha notado que suas melhores ideias vêm no chuveiro ou quando você sai para uma caminhada.

“Quando sua mente é capaz de vagar, ele está acessando memórias, emoções e pedaços aleatórios de conhecimento armazenado”, diz Amy Fries, autora de Daydreams no Trabalho: Wake Up Your Creative Powers, escritora e editora para Psychology Today.

©Passive, 2013 by Joey Klarenbeek

“Daydreaming é como nós acessamos o nosso estado de grande captura da mente”, diz Fries. “Quando você está em um estado de mente sonhadora, você pode visualizar ou simular sua própria versão de eventos.”

Esta visualização pode nos ajudar a ganhar uma nova perspectiva sobre um problema ou a vincular dois pensamentos previamente desarticulados para chegar a uma ideia original.

Momentos criativos quando você deixa a mente viajar

Conforme o estudo, os momentos mais criativos das pessoas acontecem quando o cérebro é permitido descansar. Mas o vício em smartphones pode prejudicar essa oportunidade.

De acordo com Nielsen , os americanos gastam 10,5 horas por dia consumindo mídia. E os residentes britânicos estão perto com quase 10 horas em um dia, de acordo com eMarketer. No Brasil, o consumo de mídia está entre 3 e 4 horas por dia (somente pelos smartphones), conforme a Exame.

 

Esse tempo de tela prolongado faz com que algumas pessoas sintam-se desconfortáveis ​​ao se perceberem sozinhos com os próprios pensamentos. Para se ter uma ideia, cientistas realizaram um estudo em que deram às pessoas a opção de sentar sozinho, sem distrações por um período de 6-15 minutos ou suportar um choque elétrico suave. Muitas pessoas escolheram o choque.

Estados diferentes

Quando seus olhos estão no seu telefone, sua mente está em um estado muito diferente do que quando está sonhando. “Ao longo de anos de estudos, os pesquisadores descobriram que nosso cérebro tem dois sistemas de atenção separados, um externo e um interno”, diz Daniel Willingham, Professor de Psicologia da Universidade da Virgínia. O sistema de atenção interno, que é ativado durante o sonho diurno, é chamado de rede padrão.

“A rede padrão é particularmente ativa quando você está pensando em si mesmo, pensando no passado, pensando no futuro”, diz Willingham. “Você não pode realmente ter ambos [sistemas de atenção] ativos ao mesmo tempo, mas eles estão de alguma forma ligados.”

Se ambos os sistemas não podem estar ativos ao mesmo tempo e estamos passando 10 horas por dia em um sistema de atenção, ele levanta a questão: o que isso está fazendo para nossos cérebros – e nossa capacidade de criar ideias criativas?

“Do ponto de vista psicológico, estamos mais preocupados com o que isso nos fará ao longo de muitos anos”, diz ele. As consequências, a partir de agora, não são totalmente conhecidas, todo esse tempo gasto em um sistema de atenção, pode muito bem ter um efeito a longo prazo.

Hoje em dia, aceitar o seu próprio estado de sonhar acordado é quase revolucionário.

Fonte: BBC